Bolsonaro pede a novo diretor-geral da PF para ressuscitar caso Adélio

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se encontrou com o novo diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, na semana passada em Brasília.

Estava presente no encontro também o novo ministro da Justiça, Anderson Torres, antes mesmo de sua posse.

Na conversa, segundo relatos, o presidente disse que ele teria liberdade de atuação, mas fez um pedido: que descobrisse quem quis matá-lo. Uma referência à tentativa de assassinato do presidente durante a campanha eleitoral de 2018, quando Adélio Bispo o deu uma facada. O episódio aconteceu no dia 6 de setembro em Juiz de Fora.

Nos dois inquéritos abertos pela Polícia Federal para investigar o caso, a avaliação foi a de que Adélio planejou e executou o crime sozinho. A PF agora aguarda uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para ter acesso aos celulares dos advogados que defenderam Adélio.

Procurados, a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto e a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça não se manifestaram. A PF não se manifestou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *