Fãs começam a se despedir de Maradona; confusão ocorre na formação da fila

O velório de Diego Armando Maradona começou com confusão na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, sede do governo argentino, no centro de Buenos Aires. A multidão se desentendeu na formação da fila, derrubando grades, e policiais precisaram restabelecer a ordem.

Muitos estavam sem máscaras para proteção contra o novo coronavírus e a polícia não conseguiu evitar aglomerações em alguns pontos da Praça de Maio.

Após a intervenção da polícia, os fãs começaram a se despedir do jogador. Maradona morreu nesta quarta-feira (25) por insuficiência cardíaca aguda.

Corpo de Diego Maradona é velado em Buenos Aires (26.nov.2020)
Corpo de Diego Maradona é velado na Casa Rosada (26.nov.2020)
Foto: Reprodução/CNN

Autoridades locais estimam que cerca de 1 milhão de fãs do jogador devem ir até o local. O velório ocorre em meio a uma quarentena oficial decretada pelo governo argentino, que garante o uso de transporte público apenas para trabalhadores essenciais.

Confusão na abertura do velório de Maradona em Buenos Aires (26.nov.2020)
Confusão na abertura do velório de Maradona na Praça de Maio (26.nov.2020)
Foto: Reprodução/CNN
Confusão na abertura do velório de Maradona em Buenos Aires (26.nov.2020)
Confusão na abertura do velório de Maradona em Buenos Aires (26.nov.2020)
Foto: Reprodução/CNN

Maior jogador argentino da história, Maradona venceu a Copa de 1986, com a seleção argentina, quando protagonizou lances históricos como o gol da “mão de Deus”, contra a Inglaterra.

A luta contra a dependência química, durante maior parte da vida, também marcou a história de Maradona.

Nos clubes, o ídolo fez história no Boca Juniors e no Napoli – onde foi campeão italiano e da Uefa.

Confusão na abertura do velório de Maradona em Buenos Aires (26.nov.2020)
Polícia tenta organizar fila na abertura do velório de Maradona em Buenos Aires (26.nov.2020)
Foto: Reprodução/CNN

No Brasil, a rivalidade com Pelé, que renderia intermináveis discussões sobre quem seria o melhor jogador, tornou-se tema de muitas conversas sobre futebol.

Maradona, no entanto, sempre dizia que sua primeira inspiração no esporte era justamente um outro brasileiro: Roberto Rivellino, ídolo do Corinthians e do Fluminense.

Desde que parou de jogar, Maradona enfrentou problemas cardíacos, de peso e a luta contra o vício. Chegou a ser internado em Cuba para se desintoxicar, depois de quase ter morrido por overdose.

Atualmente, Diego era treinador do Gimnasia La Plata, da Série A argentina, depois de ter treinado equipes no México e em países árabes, além da seleção argentina na Copa de 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *