--:--
--:--
  • cover
    Alberto Lopes

--:--
--:--
  • cover
    Alberto Lopes

Redução do Bolsa Família de julho assusta beneficiários: o que aconteceu?

Redução do Bolsa Família de julho assusta beneficiários: o que aconteceu?

Foto: Divulgação

Determinados beneficiários do Bolsa Família usaram as redes sociais para falar sobre a diminuição no valor do benefício. Com base nos relatos, as quantias foram reduzidas praticamente pela metade e os novos adicionais não constam no extrato. Em casos específicos, o auxílio social chegou a R$ 330.

Desde março, o programa libera R$ 150 para as famílias com crianças menores de 6 anos de idade. Em junho, outro adicionais no valor de R$ 50 passaram a atender outros grupos e uma nova quantia de R$ 142 por pessoa passou a ser garantida.

As mudanças no Bolsa Família fazem com que o valor do benefício possa ser ampliado de forma expressiva entre os cidadãos em situação de vulnerabilidade social. Contudo, a reformulação trouxe uma nova regra que pode estar por trás da redução nas quantias relatadas.

Redução do Bolsa Família

A redução do Bolsa Família pode estar relacionada com a nova Regra de Proteção do programa social. A medida determina que, em caso de aumento da renda acima do limite determinado pelos critérios, os beneficiários podem continuar recebendo o auxílio, mas com o valor reduzido pela metade.

O objetivo é garantir uma maior estabilidade financeira para os cidadãos que conseguem ampliar o rendimento mensal a fim de que não corram o risco de ter o valor do benefício descontinuado de forma abrupta.

Dito isso, essa pode ser a realidade das pessoas que passaram a visualizar um novo valor no extrato do Bolsa Família. Se isso se confirmar, a quantia integral só poderá ser paga novamente caso a renda se enquadre nas regras.

Critério de renda do benefício

O Bolsa Família é destinado aos brasileiros em situação de vulnerabilidade socioeconômica com renda mensal per capita de até R$ 218. Para contar com os depósitos, é necessária a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico) e a manutenção dos dados atualizados.

Segundo o portal Seu Crédito Digital, os valores são pagos mensalmente com base no número final do NIS (Número de Identificação Social). Com a reformulação no desenho do programa, as quantias são de R$ 150, R$ 50 e R$ 142 per capita, mas o valor base segue em R$ 600.

Fonte: Jornal da Franca

Compartilhe: