--:--
--:--
  • cover
    Alberto Lopes

--:--
--:--
  • cover
    Alberto Lopes

Viagra é bom pra disfunção erétil e ajuda a combater o Alzheimer, revela estudo

Viagra é bom pra disfunção erétil e ajuda a combater o Alzheimer, revela estudo

Foto: Reprodução

O Viagra, usado para disfunção erétil, pode reduzir o risco de Alzheimer em até 60% em homens e mulheres.

É o que descobriu uma pesquisa feita por cientistas de Nova York e publicada na Studies in Health Technology and Informatics.

Os cientistas explicaram que o princípio ativo do Viagra é responsável por bloquear a PDE5, uma enzima presente no organismo dessas pessoas.

A análise dos pacientes mostrou que em homens com mais de 65 anos, que tomaram a pílula, o risco da doença foi 62% menor.

Já em mulheres, que podem receber o medicamento para casos de hipertensão, o número ficou na casa dos 47%. Os resultados são preliminares, mas já se mostraram promissores.

Como atua contra o Alzheimer

Segundo Xingye Huo, autor do estudo, a sildenafila – princípio ativo do Viagra – atua bloqueando a PED5.

A PED5 é uma enzima que aparece significativamente aumentada na parte do cérebro que gere a memória de pacientes com Alzheimer.

“Descobrimos que o sildenafil estava significativamente associado a um risco 60% menor de desenvolver a doença de Alzheimer”, contou Xingyue.

Uma das consequências desse bloqueio é o aumento do suprimento de sangue no corpo, que faz melhorar o fluxo do fluido no cérebro por exemplo.

A pesquisa foi feita com 27 mil pacientes, homens e mulheres.

Resultados preliminares

Apesar de os resultados divulgados serem preliminares, os cientistas estão otimistas.

A redução do Alzheimer se deu comparando entre aqueles que usaram e os que não tomaram a pílula. Não há de fato uma comprovação, mas sim uma associação forte de causa e consequência.

Assim, é necessário fazer novos estudos clínicos para que se possa comprovar que o ‘azulzinho’ pode ajudar a reduzir o Alzheimer em pacientes que têm a doença neurodegenerativa.

Outro benefícios do Viagra

O uso de sildenafil tem sido associado ao combate de diversos tipos de doenças recentemente.

Outro estudo divulgado em janeiro descobriu que o remédio também pode ser associado à redução do risco de doenças cardíacas e risco de morte.

As doenças cardiovasculares diminuíram em 39% nos pacientes que ingeriram a pílula. O risco de morte precoce baixou em 25%.

Há benefícios também no combate ao desenvolvimento de angina instável, 22% a menos, de acordo com os estudos.

*Com informações do Jornal da Franca

Compartilhe: